MANDALA 'MARIA'


MARIA




I. A Flor
Pistilo e estame se casam numa flor.
Qualquer Maria se casa em uma mulher.
Depois a Maria lambe uma flor, cruza o pistilo e o estame, e do pólen nasce uma mulher. Depois a mulher se amamenta no néctar da Maria - a força para ser Rosa.
Ah! E rosas possuem espinhos, não só como defesa, mas como órgão quente veemente entranhado em seus escopos.
E flores possuem beleza e mistério e desabrocham em qualquer Maria.


II. O Sangue
Carmim derramado entre as pernas.
Vida nascendo entre os joelhos.
Lágrimas rubras em todos os janeiros.
Epifania nas noites extra-uterinas –
Onde se misturam placenta e escarlate
E onde não se sabe se a Maria é dor ou alegria
Sabe-se apenas que, inconfundivelmente, ela é mulher.


III. A Mãe
Fecham os olhos e vêem.
Silenciem e fustiguem as suas orações.
Há uma mãe virginal que pari os seus filhos pelos os corações.
Há uma senhora verde, com tetas grandes, aleitando o universo.
Há uma raiz gigante que fortifica o nosso pé e a nossa fé.
Mora lá dentro do nosso corpúsculo, a deusa primordial
Tão cheia de viço e natureza, que é a concentração do nosso natural
A Maria mãe que deu à luz aos deuses e as minúsculas partículas dos verbos.
Àquela que pariu o Gênese, e deu as suas próprias maçãs aos que tinham fome.
Àquela que não só nos coloca embaixo do seu sagrado manto, como nos aconchega em sua barriga, rasgando o seu umbigo e liquefazendo o seu íntimo ao nosso.
A Maria mãe que em seu sexo constrói todo o colosso.


IV. A Mandala
A roda de cura.
A barriga delicada e sedenta que gera os cernes e sementes
Filhos, pássaros, cachoeiras e serpentes.
A fragilidade e a força
Que permeiam o nosso motriz.
Colorida de flores - matizada de nuances rubra - em exaltação a uma grande mãe: A Maria
fala, também, através da mandala.


Mandala de Simone Bichara e texto de Daniella Paula Oliveira.





DEDICO 'MARIA' À DONA CANÔ VELLOSO



A primeira vez que essa mandala Maria apareceu em minha mente, sua energia foi de mãe, ela me lembrava D. Canô, era a imagem e a luz de D.Canô que vibravam na mandala. Essa pequena grande senhora tem energia de mãe universal, energia de doçura, amor incondicional, grandeza de espírito, acolhimento, abertura, concórdia... Canô simboliza para mim, todas as mães. Ela é uma grande mãe, uma mulher que transcendeu o amor pela família e expandiu seu afeto para todo o povo brasileiro, para o mundo... É Maria, cheia de fé, de luz, de sabedoria que em seus 103 anos, continua cheia de vida, alegria, esperanças, e com uma capacidade de doação fenomenal. Maria é Mãe que é Canô. Canô era o nome dessa mandala que virou Maria, que é Mãe e é Canô.


Simone Bichara

4 Response to "MANDALA 'MARIA'"

  1. Isaac Melo Says:

    Simone,
    antes de tudo parabéns pelo seu trabalho, é simplesmente MARAVILHOSO! Adoro arte e a sua é fascinante!
    Obrigado pelas suas palavras, é uma lisonja vindo de uma pessoa como você!
    Como gosto de dizer que amo mais as letras acreanas do que a compreendo. Há alguns anos tenho lido e comprado muitas obras acreanas, é uma riqueza imensa, que não fica atrás de qualquer outra literatura produzida no Brasil, ainda pouco conhecida. Então, partilho essas leituras e assim sai a diversidade em meu blog.

    Até mais! Abraços!

  2. danilonobrega28@yahoo.com.br Says:

    Pra gente sobreviver precisamos ver e ler coisas assim todo o dia.

    abraços fraternos,
    Danilo

  3. Rafaela Says:

    "Sabe-se apenas que, inconfundivelmente, ela é mulher"
    Que coisa mais linda isso aqui!!!!!!!!!

  4. Mariah Says:

    A GRANDE MÃE MUITO BEM RETRATADA

Postar um comentário

Pages